Influenciador digital que perdeu irmão de três anos passa mal durante velório em Itatira

Momento em que o corpo de João Gabriel chega ao velório - Foto: reprodução

O influenciador digital cearense, Paulo Henrique, se sentiu mal durante o velório e sepultamento do irmão de três anos, João Gabriel, que morreu na última segunda-feira (18), em Itatira. Paulo precisou ser medicado e levado para um hospital. A família acusa o médico de negligência pela morte do pequeno João Gabriel.

O corpo da criança foi levado na tarde desta terça-feira (19), para a comunidade de Barro Vermelho, em Itatira, onde foi velado e posteriormente sepultado, por volta das 16h30, no cemitério do distrito de Lagoa do Mato, no município. Vizinhos, amigos e parentes compareceram ao velório da criança. Durante o sepultamento, Paulo Henrique se sentiu mal e precisou ser levado para o hospital de Itatira. Ele foi medicado e encaminhado para casa.

Nas redes sociais, Paulo Henrique que atua como influenciador digital e possui mais de 470 mil seguidores no instagram, compartilhou imagens do velório do irmão. Em uma delas, a mãe e a avó de João Gabriel aparecem chorando e sendo amparadas por amigos. “Dor de 2 mães que perderam um filho, por negligência médica”, descreveu ele na legenda. Paulo Henrique também postou uma imagem comovente, onde segura a mão do irmão morto, dentro do caixão. “Brilha no céu meu anjo”.

O caso da morte de João Gabriel da Silva está sendo apurado pela Polícia Civil de Canindé e pela Secretaria de Saúde do município de Itatira. A família acusa o médico que atendeu João de atuar com negligência deixando de oferecer o suporte adequado, tendo em vista que o garoto deu entrada no hospital por três vezes. Nas duas primeiras, apesar dos sintomas, teria sido liberado e orientado pelo médico a voltar para casa. Na terceira, acabou não resistindo e veio a óbito.

Nesta terça equipes da Polícia Civil estiveram em Itatira onde procuraram ouvir as partes envolvidas para prestar depoimento. Um inquérito policial foi aberto para investigar a conduta do médico, que permanece afastado desde a última segunda-feira (19), por determinação da Secretaria de Saúde do município.
Revista Central
Postagem Anterior Próxima Postagem