Mãe é presa suspeita de omitir socorro e ser conivente com estupro da própria filha, no Ceará


Uma mulher de 36 anos foi presa suspeita de omitir socorro e ser conivente com o estupro da própria filha, uma menina de nove anos. O caso aconteceu em Tauá, no interior do Ceará. Segundo informações policiais, os crimes foram cometidos em 2020, pelo companheiro da mãe, padrasto da vítima, um homem de 48 anos.

A investigação aponta que os crimes ocorriam quando companheiro da mulher aproveitava a ausência dela, que saia para trabalhar, e cometia o crime de estupro contra a criança, que na época, tinha nove anos de idade.

A menina chegou a relatar os crimes para a mãe, mas ela omitiu socorro, conforme a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). Ainda segundo apurações policiais, o homem tentou cometer o mesmo crime com a irmã da menina, uma adolescente de 13 anos. Após investigações policiais, o homem acabou condenado por estupro de vulnerável e foi preso, ainda em 2020. Atualmente ele se encontra em uma unidade penitenciária cumprindo pena.

As filhas da mulher, hoje com 11 e 15 anos, são acompanhadas pelo Conselho Tutelar da região e estão aos cuidados da família. A mãe delas estava foragida; contra ela havia um mandado de prisão condenatória de 21 anos e três meses em aberto pelo crime de estupro de vulnerável e por satisfazer a própria lascívia ou de terceiros.

Os investigadores da Polícia Civil conseguiram capturá-la quando foi localizada no local de trabalho. Ela foi conduzida para uma unidade policial, onde se encontra à disposição da Justiça. As investigações continuam, pois há indícios de que a menina era abusada por outros homens, amigos do padrasto da vítima.
G1 CE
Postagem Anterior Próxima Postagem