Netflix estuda criar planos com anúncios após ações caírem quase 40%


As ações da Netflix registraram uma queda nesta quarta-feira (20/4), após a empresa de streaming anunciar, no dia anterior, que perdeu milhares de assinantes pela primeira vez em 10 anos.

Na bolsa de Nasdaq, em Nova York, as ações da empresa caíam 36,5% por volta do meio-dia. No mesmo horário, a Netflix registrava uma queda de 25% na bolsa brasileira, a Bovespa.

Segundo o CEO da empresa, Reed Hastings, para reverter as perdas, a Netflix deve lançar um plano de assinaturas mais barato que contenha conteúdo publicitário.

Se confirmado, o lançamento desse plano não deve afetar as atuais assinaturas. “Clientes que não quiserem ver publicidade terão a possibilidade de contratar planos livres de anúncios”, disse Hastings.

Atualmente, o plano mais barato do serviço de streaming é R$ 25,90 por mês. O plano intermediário custa R$ 39,90 e o premium, com qualidade de vídeo superior, R$ 55,90.

Perda de assinantes
Em relatório divulgado para os acionistas na terça-feira (19/4), a Netflix revelou que perdeu 200 mil assinaturas no último trimestre.

De acordo com os dados divulgados pelo serviço, de 221.840 milhões de assinantes registrados no final de 2021, o serviço desceu para 221.640 milhões neste primeiro trimestre de 2022.

Segunda a empresa, as razões da queda estariam ligadas a diversos fatores, como o aumento do número de uso compartilhado de contas do serviço e o crescimento da concorrência.

O conflito armado na Ucrânia também foi apontado no relatório como um dos motivos para a queda na Netflix. Ao sair de operação da Rússia, o serviço informa que perdeu cerca de 700 mil assinaturas.

A Netflix suspendeu suas operações na Rússia em 6 de março, em decorrência da invasão da Ucrânia.

Metrópoles
Postagem Anterior Próxima Postagem