Polícia do DF prende dois suspeitos de esfaquear jornalista da Globo


A Polícia do Distrito Federal (PCDF) prendeu nesta sexta-feira (15) dois suspeitos de esfaquear o jornalista Gabriel Luiz, que trabalha na Rede Globo. 

A primeira prisão ocorreu no início da tarde desta sexta, trata-se de um menor de idade que foi encaminhado para a delegacia especializada. O segundo suspeito, que tem 19 anos, foi preso em uma praça no Cruzeiro, região onde fica a 3ª Delegacia da Polícia, responsável pelo caso do jornalista esfaqueado. 

A principal linha de investigação é tentativa de roubo. Uma testemunha já prestou depoimento.

Entenda o caso 
O repórter Gabriel Luiz, editor do DFTV da TV Globo de Brasília, que foi esfaqueado por dois homens no fim da noite de quinta-feira (14) na porta do prédio onde mora, na capital federal, fez uma matéria na última segunda-feira (11) denunciando o funcionamento perigoso de um clube de tiro em Brazlândia, uma região administrativa do Distrito Federal. A Polícia Civil do DF investiga várias linhas como motivação para o crime e, conforme apurado pela reportagem da Fórum, essa é uma delas.

Inaugurado recentemente, o estande de tiro fica às margens da BR-251 e tem deixado moradores da vizinhança desesperados, já que as balas saem do que deveria ser um perímetro de segurança, atingindo lotes residenciais e rurais nos arredores. A população local mostrou dezenas de projéteis de revólveres, pistolas e fuzis, assim como os furos em paredes e árvores dos imóveis.

Polícia não descarta nenhuma hipótese sobre motivação do crime
A Polícia Civil do Distrito Federal não descarta hipóteses sobre a motivação do crime, inclusive tentativa de homicídio. A carteira do repórter foi encontrada no local do crime. O celular estava desaparecido. Porém, nesta sexta (15), o aparelho foi localizado por um morador da região. Estava no chão. O homem repassou o celular a um investigador, que o entregou à 3ª Delegacia de Polícia, que investiga o crime.

De acordo com o boletim médico, obtido pela coluna Na Mira, no Metrópoles, o estado de saúde de Gabriel é grave, mas estável. De todos os ferimentos, o pior foi o do abdômen. Os médicos afirmaram, ainda, que embora o jornalista tenha perdido muito sangue, a cirurgia foi “efetiva” e aguardam sua transferência para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Revista Fórum
Postagem Anterior Próxima Postagem