Adolescente vai com mãe a mutirão do TRE-CE tirar título de eleitor no último dia do prazo: 'Precisamos mudar as coisas'


O adolescente Paulo Davi Silva de Lima, de 17 anos, está entre as pessoas que buscaram atendimento no Centro de Eventos, em Fortaleza, no último dia do mutirão para regularização eleitoral, nesta quarta-feira (4). O jovem foi ao local acompanhado da mãe Maria Neide Silva de Lima, 53 anos, para fazer o título de eleitor.

"Muito feliz em tirar meu título. [É] Importante exercer meu direito de votar e escolher o melhor para o meu país. Reforço aqui a outros jovens a fazerem o mesmo. Precisamos mudar as coisas", disse Paulo Davi.
O local teve fila de eleitores em busca de atendimento presencial do TRE-CE. Algumas pessoas chegaram às 5h, três horas antes do início dos atendimentos. A expectativa do órgão é que 3 mil pessoas sejam atendidas ao longo do dia, considerando apenas agendados.

Primeira a chegar na filGa

O mutirão com ampliação do atendimento presencial do TRE-CE começou em 25 de abril e estava com vagas remanescentes para quem desejasse fazer o título pela primeira vez, transferir ou revisar os dados cadastrais no local a tempo de votar nas Eleições de 2022, em 2 de outubro.

Apesar do mutirão está ocorrendo há mais de uma semana, algumas pessoas deixaram para buscar atendimento na última hora, é o caso de Maria Marli de Freitas, 60 anos, moradora do Bairro José Walter, que saiu de casa às 4h e foi a primeira a chegar no Centro de Eventos, às 5h.

"Tentei regularizar o título antes da pandemia não consegui por conta de doença e as filas que eram bem longas. Aí desisti e veio a Covid e não tive oportunidade de fazer. Agora espero regularizar para votar", afirma Maria Marli.

Regiane Nunes Ferreira, 42 anos, foi a segunda pessoa a chegar ao local. Segundo ela, a falta de tempo está entre os motivos que a levou a buscar o serviço na data limite. "Perdi a chance de regularizar o título por falta de tempo mesmo e fiquei sabendo do mutirão pela televisão", disse.

Também é possível ter acesso aos serviços eleitorais on-line, sem enfrentar filas, através pelo Sistema Título Net, que também recebe solicitações para regularização só até esta quarta. Devido ao alto número de acessos os portais e sistemas da Justiça Eleitoral apresentaram instabilidade na última segunda-feira (2).

Entre as consequências da falta de regularização do título eleitoral estão a impossibilidade de votar e se candidatar, bloqueio para empréstimos, veto a inscrições em concursos públicos e bloqueio à retirada do passaporte, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

G1 CE
Postagem Anterior Próxima Postagem