Campanha contra a gripe: apenas 22,8% das crianças foram vacinadas no Ceará

A vaciação contra Influenza e sarampo tem cobertura desejada de 95% (foto: FABIO LIMA)

De aproximadamente 576 mil crianças aptas para receberem a vacina da Influenza durante a campanha de imunização de 2022, apenas 131.396 foram levadas aos postos de vacinação do Ceará. O número equivale a 22,8% do público-alvo residente nos 184 municípios do Estado. Conforme a Secretaria da Saúde (Sesa), a cobertura desejada é de 95%.

Questionada sobre os casos de síndromes respiratórias registrados no Estado em 2022, a Sesa informou que não dispõe de dados detalhados por faixa etária. De 1º de janeiro até essa segunda-feira, 9 de maio, foram registrados 269.115 casos de síndromes gripais no Ceará. Destes, 264.479 foram confirmados e 4.636 estão em investigação. A pasta aponta que "o predomínio dos casos graves de síndromes gripais é em idosos e crianças menores de 4 anos".

Desde o início do ano, o Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará (Lacen) analisou 2.702 exames de pacientes com síndromes gripais. Desse total, prevaleceram o vírus Influenza (1.257 amostras) e o vírus sincicial respiratório (1.207 amostras). Os números correspondem, respectivamente, a 46,5% e 44,6% das análises. A Sesa frisa que, "nos últimos 30 dias, a prevalência é de vírus sincicial, sendo 768 identificações de patógenos de um total de 868". Nesse período mais recente, apenas 20 amostras foram de Influenza.

Considerando a sazonalidade do período de chuvas no Ceará, o Governo iniciou a aplicação das vacinas contra Influenza e sarampo em crianças a partir de 6 meses e menores de 5 anos de idade no dia 4 de abril – antecipando a campanha para esse público em cerca de um mês. A ação segue até 3 de junho.

A vacina contra a Influenza deste ano, produzida pelo Instituto Butantan, é trivalente. Composta pelos vírus Influenza A H1N1; Influenza A H3N2, do subtipo Darwin; e Influenza B. A atualização inclui o H3N2, garantindo a imunização contra a cepa que foi responsável pelo aumento de casos no início de 2022.

Além das crianças, idosos e profissionais da saúde estão entre os públicos contemplados pela campanha. Gestantes, puérperas, pessoas com comorbidades e deficiências permanentes, indígenas, professores, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo e profissionais portuários também são priorizados.

Compõem os grupos prioritários, ainda, membros das Forças de Segurança e Salvamento e das Forças Armadas, funcionários do Sistema de Privação de Liberdade, população privada de liberdade e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas.

O povo
Postagem Anterior Próxima Postagem