Diretora de escola é agredida por estudante com 'mata-leão'

Foto: Reprodução/Câmera de segurança

A diretora de uma escola em Itararé, no interior de São Paulo, registrou um boletim de ocorrência na terça-feira (24) após ser agredida por um estudante de 17 anos.

A agressão ocorreu na noite de segunda-feira (23), na Escola Estadual "Herculano Pimentel", e foi registrada por uma câmera de segurança.

Nas imagens, é possível ver que a mulher estava conversando com o aluno e outras duas pessoas dentro da escola, quando, em um determinado momento, a diretora se virou de costas e o estudante aplicou um golpe "mata-leão" nela (veja acima).

Com o golpe, a diretora caiu no chão e a porta da escola caiu em cima dela. Na sequência, um homem também tentou conter o estudante, mas ele voltou a agredir a vítima no chão da unidade.

A Polícia Militar foi acionada e a vítima foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), sendo levada até a Santa Casa da cidade. O Conselho Tutelar também foi acionado.

Conforme o boletim de ocorrência, a diretora contou que chegou a desmaiar durante as agressões, porque o estudante apertou o pescoço dela. Apesar dos ferimentos, ela não precisou ser internada.

A diretora foi até a delegacia de Itararé na terça-feira para registrar um boletim de ocorrência. A vítima contou à polícia que a discussão com o aluno começou depois que ela pediu para que ele voltasse à sala de aula, pois o intervalo já havia terminado.

O BO foi registrado por desacato e lesão corporal, e a Polícia Civil vai investigar o caso. O adolescente não foi apreendido e será ouvido por meio de escuta especializada durante as investigações.

Repúdio

Em nota, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo informou que repudia toda e qualquer forma de agressão e de incitação à violência dentro ou fora das escolas.

"Os responsáveis pelo estudante foram chamados e o conselho escolar se reunirá para decidir sobre o caso. A escola coloca à disposição dos estudantes o atendimento pelo Programa Psicólogos na Educação, se autorizado por seus responsáveis", diz o texto.

Ainda segundo o estado, a equipe central do programa Conviva SP e do Gabinete Integrado de Segurança e Proteção Escolar (Gispec) seguem acompanhando a escola. O caso também foi registrado na Plataforma Conviva SP, que acompanha o registro de ocorrências escolares na rede estadual de ensino.

"A equipe gestora, junto com a supervisão, segue prestando apoio a todos da escola. A Diretoria de Ensino de Itararé e a escola seguem à disposição da comunidade escolar e autoridades para mais esclarecimentos".

G1
Postagem Anterior Próxima Postagem