Serpente mais venenosa do Brasil é resgatada em quarto de residência no Ceará

Foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação

Uma coral verdadeira, serpente mais venenosa do Brasil, foi resgatada pelos bombeiros no quarto de uma residência na cidade de Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza. O caso aconteceu na tarde deste domingo (22).

Segundo o Corpo de Bombeiros, os agentes da 2ª Companhia do 2º Batalhão de Bombeiros Militar de Horizonte foram acionados por volta das 14h30 e fizeram a retirada do animal.

Na ocasião, a pessoa informou aos agentes de segurança que a coral estava debaixo do guarda-roupa e se escondeu por trás da cabeceira da cama. Conforme o subtenente dos bombeiros, J. Wilson, por estar temeroso, o morador isolou o quarto até a chegada dos agentes.

Utilizando equipamentos de proteção individual e de resgate de ofídios, a equipe dos bombeiros resgatou a serpente coral verdadeira que se encontrava na residência. A serpente, sem ferimento aparente, foi devolvida ao seu habitat natural, longe de residências em área de proteção ambiental.

Coral verdadeira

Popularmente nominadas de cobra-coral ou de coral, estas espécies de serpentes que apresentam padrão de anéis coloridos pelo corpo, ou mesmo apenas o corpo vermelho.

Ao todo existem 32 espécies da família Elapidae (corais-verdadeiras) e 49 da família Dipsadidae (Falsas-corais), além de duas espécies da família Colubridae (Simophis rhinostoma e Rhinobothryum lentiginosum) e a Anilius scytale.

Dentre as corais, costuma-se chamar de corais-verdadeiras as peçonhentas e pertencentes à família Elapidae. A coloração vermelha presente nelas é uma forma de aposematismo, um mecanismo de defesa que consiste em uma coloração de advertência para potenciais predadores.

Conforme os bombeiros, apesar do veneno potente e da coloração que inspira temor, as corais verdadeiras têm um temperamento e anatomia que minimizam as chances de acidentes, mas, mesmo assim, requerem cuidado.

Os acidentes com maior relevância epidemiológica na região ocorrem com serpentes do gênero Bothrops (jararacas), que possuem maior porte, maior ângulo de abertura bucal e dentes mais especializados, que utilizam o bote como um dos mecanismos de defesa e podem também ser encontradas na área urbana.

Prevenção

O Corpo de Bombeiros orienta que, em caso de encontro com cobras em áreas urbanas, deve-se manter a distância e acionar quem possa preservar tanto a integridade física das pessoas quanto do animal. A primeira coisa é ligar para os bombeiros por meio do 193.

G1 CE
Postagem Anterior Próxima Postagem