Surfista é morto a tiros no Ceará, família afirma que rapaz tentou intervir em briga

Foto: Instagram/Reprodução



O porteiro e surfista Antônio Jócele Miranda da Costa Júnior, 37 anos, foi morto, e um outro homem ficou ferido a tiros no Bairro Varjota, em Fortaleza, na madrugada deste domingo (29).

A irmã da vítima, a técnica administrativa Jacqueline Miranda, relatou que testemunhas afirmaram que Antônio Jócele foi morto após perceber que uma mulher estava sendo assediada e agredida pelo suspeito nas proximidades de um complexo de lanchonetes. "Foi falar para o rapaz não fazer isso com a mulher e acabaram entrando numa discussão. Ele do lado de dentro do estabelecimento e o assassino do lado de fora", afirmou.

Em seguida, o irmão teria saído do empreendimento para conversar com o agressor. O suspeito de estaria com outros amigos, que segundo a família, eram policiais. "Começaram a atirar nele, e ele correu, mas infelizmente chegou a não resistir".

Conforme a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), não há confirmação de que o suspeito do crime seja um profissional de segurança. O caso é investigado pela Polícia Civil do Ceará (PCCE). Não há informações sobre identificação ou estado de saúde do outro homem atingido.

Jacqueline descreveu o irmão — que trabalhava como porteiro de um prédio havia 12 anos e também como surfista — como uma pessoa tranquila, sorridente e muito boa com quem convivia.

"Meu irmão era uma pessoa de bom caráter. Sempre rodeado de amigos, alunos (as) e familiares que o amavam muito. Todos do prédio estão muito comovidos com o acontecido".

Investigações

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) afirmou, em nota, que a Polícia Civil do Ceará investiga um caso como homicídio e de lesão corporal à bala.

Segundo a pasta, duas pessoas foram atingidas por disparos de arma de fogo. A outra vítima foi socorrida por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Equipes do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), da Polícia Militar do Ceará (PMCE) e da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) estiveram no local para investigar o caso.


A DHPP segue em diligências para identificar a autoria e as circunstâncias do crime.
Postagem Anterior Próxima Postagem