Acusado de matar ex-mulher e ex-sogra a facadas no Ceará é condenado a 80 anos de prisão

Mãe tentou salvar a filha do ex-genro, mas também foi morta — Foto: Arquivo pessoal

A Justiça condenou nesta quarta-feira (8) o réu Valdian de Sousa Melgaço pelas mortes da ex-mulher e da ex-sogra. O júri aconteceu no Fórum Judiciário da Comarca de Acaraú, cidade do local do crime. Valdian foi sentenciado a cumprir 80 anos, oito meses e 22 dias de prisão.

O julgamento teve duração de seis horas e foi presidido pela juíza Ana Celina Monte Studart Gurgel Carneiro. O réu foi representado pelo Defensor Público de Acaraú, Martônio Brandão Pessoa.

A professora Maria de Jesus Veríssimo, 47 anos, e a filha dela, a enfermeira Kelry Veríssimo, de 24 anos, foram mortas a facadas pelo ex-companheiro da jovem na madrugada do dia 28 de novembro de 2021.

Medida protetiva
Quatro dias entes de ser morta, Kelry havia pedido na Justiça uma medida protetiva contra o ex-companheiro. O pedido de proteção foi feito após as constantes ameaças que a vítima recebia. Kelry foi morta na frente da filha do casal, de 6 anos. O pai da enfermeira também ficou ferido ao tentar defender a filha e teve um infarto durante o ataque do ex-genro, de 28 anos, que foi agredido por populares após cometer os crimes.

Assassinato após separação
Segundo testemunhas, a enfermeira estava morando com os pais e as duas filhas, após se separar de Valdian. Durante a madrugada, o homem pulou o muro, invadiu a casa da família e atacou a jovem com uma faca no quarto em que ela dormia com uma das filhas. A mãe dela e o pai tentaram socorrer a filha, mas também foram atacados pelo homem. As crianças não ficaram feridas.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, algumas pessoas ajudaram a socorrer a família a uma unidade de saúde na cidade. Maria de Jesus morreu horas após o crime. Kelry foi socorrida em estado grave e chegou a ser transferida para a Santa Casa de Sobral, mas não resistiu aos ferimentos.
G1 CE
Postagem Anterior Próxima Postagem