Audiência pública do Projeto Santa Quitéria se arrasta por mais de sete horas com debates acirrados e incertezas

Fotos: Reprodução/Consórcio Santa Quitéria

A primeira audiência pública sobre o estudo e relatório de impacto ambiental do Projeto Santa Quitéria – de exploração de urânio e fosfato na jazida de Itataia –, foi marcada por acalorados e extensos debates que se arrastaram pela madrugada de hoje (08), no auditório da CFR Academia, em Santa Quitéria.

Por mais de sete horas de evento, defensores do projeto argumentaram que o empreendimento vai gerar milhares de empregos, aumentar a renda e o desenvolvimento em toda a região, enquanto os moradores de Morrinhos, Queimadas e Riacho das Pedras expuseram seus temores em relação aos efeitos nocivos com a manipulação do material radioativo.

Os participantes puderam fazer perguntas, críticas e sugestões que foram respondidas tanto pelo IBAMA, que está a frente do licenciamento ambiental, pela CNEN que cuida da parte nuclear, como pelos próprios representantes do Consórcio INB/Galvani. Entre os pontos manifestados com maior preocupação pelos presentes, estava a segurança hídrica com o açude Edson Queiroz e a adutora de 62 km que será construída para levar água até a jazida.


Por diversos momentos, grupos de ambientalistas e especialistas contrários ao projeto se manifestaram com faixas e cartazes, inclusive uma que ficou erguida durante toda a audiência atrás da mesa organizadora com “Salve o Ceará do dragão nuclear”.

Nos posicionamentos mais firmes em defesa de Itataia, como do presidente da FAEC Amílcar Silveira e do ex-prefeito de Santa Quitéria Tomás Figueiredo, houve vaias. O prefeito Braguinha e outros setores da sociedade civil se mantiveram mais reticentes nas falas, argumentando que o processo precisa andar, sem abrir mão de respeitar o meio ambiente e do diálogo com as comunidades próximas.


Após o término da audiência pública, os interessados terão 20 dias para enviar questionamentos, arquivos ou documentos que possam auxiliar as análises do licenciamento ambiental sobre o empreendimento. As audições do IBAMA continuam hoje e amanhã (09) em Lagoa do Mato (Itatira) e Canindé, respectivamente.

A exploração
O Projeto Santa Quitéria terá investimento de R$ 2,3 bilhões e vai produzir anualmente 1,05 milhão de toneladas de fertilizantes fosfatados e 220 mil toneladas de fosfato bicálcico para atendimento da agropecuária das regiões Norte e Nordeste. Além de 2,3 mil toneladas de concentrado de urânio, que será utilizado como matéria-prima para fabricação de combustível para geração de energia termonuclear.

Reveja a audiência pública de Santa Quitéria

Postagem Anterior Próxima Postagem