Câmara dos Deputados fará mais uma audiência pública para debater a exploração da Mina de Itataia

Foto: Elaine Menke/Câmara do Deputados

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados realiza audiência pública nesta quinta-feira (23) para analisar as vantagens e desvantagens da exploração da Mina de Itataia, em Santa Quitéria. O debate será realizado às 15h no plenário 13, e poderá ser acompanhado de forma virtual e interativa pela plataforma e-Democracia.

O deputado Denis Bezerra (PSB), aliado do prefeito Braguinha, foi quem pediu a audiência. Segundo ele, em entrevista à Agência Câmara de Notícias, o objetivo é avaliar o impacto ambiental e na saúde humana do empreendimento, bem como discutir e construir caminhos para que a comunidade científica e a população participem da tomada de decisão sobre o projeto.

Para o parlamentar, a iniciativa de exploração do urânio e fosfato "surge das pressões para construção de novas usinas nucleares no Brasil, que utilizam o urânio como combustível, e do aumento da demanda pelo agronegócio de fertilizantes e ração animal, produzidos a partir do fosfato".

Confirmaram presença na audiência:
  • o coordenador geral de Reatores e Ciclo do Combustível da Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen), Jefferson Borges Araújo;
  • o prefeito de Santa Quitéria, Braguinha;
  • o representante do Movimento pela Soberania Popular na Mineração, Erivan Silva;
  • a quilombola Isabel Cristina Silva, Rejane Mateus (assentamento Queimadas), e José Antônio (aldeia Quixaba), representantes da Articulação Antinuclear do Ceará;
  • a professora do Departamento de Saúde Comunitária da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC) e coordenadora do Núcleo Tramas - Trabalho, Meio Ambiente e Saúde, Raquel Rigotto;
  • o professor e pesquisador do Núcleo Tramas, Rafael Dias Melo.

Vale ressaltar que será mais uma audiência pública que discutirá os impactos de Itataia. Entre os dias 07 e 09 deste mês, o IBAMA realizou encontros em Santa Quitéria, Itatira e Canindé, com a mesma iniciativa de ouvir a população sobre o empreendimento.
Postagem Anterior Próxima Postagem