Concurso da Polícia Militar: Ceará deve divulgar edital com mil vagas até o fim do ano

Foto: Divulgação/ Governo do Estado

Edital de concurso público para mil vagas da Polícia Militar do Ceará (PMCE) deve ser concluído até o fim do ano. A informação é do secretário da Segurança Pública e Defesa Social, Sandro Caron, que fez o anúncio durante entrevista nesta quinta-feira, 30, aos jornalistas Jocélio Leal, Raquel Chaves e Farias Júnior, das Rádios O POVO CBN e CBN Cariri.

Conforme Caron, o edital está em processo de licitação para a escolha da banca que deve ser responsável pelo concurso. Ele relata que o objetivo é divulgar o edital até o fim de 2022 e que o processo "está bem adiantado", afirma.

O gestor da SSPDS relembra que foi iniciada a formação de 2.415 policiais militares, no entanto, o novo edital deve abrir mais mil vagas.

O secretário ressaltou ainda que todos os profissionais passam por investigação social para ingressar nas forças de segurança. As áreas de inteligência verificam a vida pregressa dos aprovados e, se for comprovado algum envolvimento com situações ilícitas, há uma reprovação na fase da investigação social e a pessoa não entra na Polícia. "Não podemos colocar maçã podre dentro da Polícia", informa. 

 Caron falou sobre a pesquisa do Anuário Brasileiro de Segurança Pública e disse descordar da metodologia que apontou a cidade de São João do Jaguaribe como a cidade mais violenta do Brasil. Caron ressalta que a metodologia usada não foi adequada e que inseriu cidades com poucos habitantes. "Quem vai aceitar que é mais perigoso ir a São João do Jaguaribe do que para o Rio de Janeiro", afirma.

O secretário da segurança disse que há números positivos no Ceará e que esse mês de junho será o período com menor número de homicídios desde que ele assumiu a gestão da SSPDS. Ainda destacou que o Ceará tem aproximadamente mil prisões por mês e redução de homicídios no primeiro semestre e em relação a 2021.

Outro fator positivo citado por Sandro Caron é a criação do Comando de Prevenção de Apoio as Comunidades, que foi oficializada nesta quarta-feira, 29. A ideia é que o grupo de policiais atue em microterritórios, áreas com vulnerabilidade e possa garantir a segurança dos moradores.

O povo
Postagem Anterior Próxima Postagem