Fraude no cadastro é um dos principais motivos de bloqueio do Auxílio Brasil em Santa Quitéria; saiba o que se encaixa como fraude

Foto: Reprodução/Governo Federal

O Auxílio Brasil é um programa que ajuda financeiramente diversas famílias em todo o Brasil. Em março de 2022, o programa chegou a um total de 18 mil beneficiários, segundo o Ministério da Cidadania.

Sendo um programa que beneficia financeiramente os brasileiros, o Auxilio Brasil é um dos principais alvos de fraude no país. Em Santa Quitéria, os casos mais comuns de fraude acontecem através do cadastro no programa.

Segundo o coordenador do Cadastro Único, Robério Viana, há casos em que as pessoas declaram um valor de renda diferente do real recebido mensalmente ou omite no cadastro o nome de integrantes da família para que possam se manter dentro das regras do beneficio. “As mulheres chegam dizendo que não vivem mais com seus companheiros, estão tirando os maridos do cadastro e a gente anda na rua e olha o pessoal andando de mãos dadas”, relatou Robério.

Ainda segundo o coordenador, mensalmente os cadastros do programa são passados por uma avaliação por parte do Governo Federal, se detectado alguma irregularidade o cadastro é suspenso e o beneficio bloqueado. “O cadastro é declaratório e todo mundo é responsável pelas suas informações. Quando acontece um bloqueio por averiguação cadastral, que o governo cruza a base de dados e bloqueia, alguma irregularidade o governo encontrou”, disse.

Em Santa Quitéria, até fevereiro de 2022, 14.296 famílias estavam cadastradas no Auxílio Brasil. Muitas famílias seguem na fila de espera para serem inseridas no programa, mas de acordo com Robério, o município já atingiu o teto de beneficiários.

Neste caso, novas famílias só podem ser inseridas no programa após outras saírem, geralmente após terem o beneficio bloqueado por irregularidades no cadastro. Famílias com muitos integrantes e com renda menores são colocadas como prioritárias, enquanto pessoas solteiras geralmente são realocadas para o fim da fila.

Outro motivo que pode culminar no bloqueio do beneficio, conforme o coordenador, é a falta de atualização do cadastro no programa. No município, cerca de 2.800 famílias seguem com seus cadastros desatualizados, algumas desde 2016, ou em revisão cadastral.

As famílias com pendência de atualização cadastral podem comparecer a sede do Cadastro Único ou ao CRAS, de segunda a quinta-feira, de 8h as 12h e de 14 às 18h, e as sextas-feiras de 8h as 14h, para regularizar a situação.
Postagem Anterior Próxima Postagem