Izolda anuncia prorrogação do Pacto pela Aprendizagem até 2024

Foto: Thais Mesquita

Com o objetivo de manter os bons índices de educação registrados no Estado em 2019, quando o Ceará alcançou o melhor resultado do País nos anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano), a governadora Izolda Cela anunciou a prorrogação do Pacto pela Aprendizagem até 2024.

O pronunciamento foi realizado durante a celebração dos 15 anos do programa Aprendizagem na Idade Certa, realizado na manhã desta terça-feira, 21, no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza.

O investimento total para o desenvolvimento das ações do Pacto, nos anos de 2021 e 2022, foi de R$ 130 milhões, e beneficiou 6.062 escolas municipais, 910.445 estudantes do 1º ao 9º ano do ensino fundamental, além de 97.849 professores.

Sobre a renovação do Pacto por mais dois anos, Izolda não deu detalhes sobre os novos valores que serão investidos, mas avaliou que a educação estadual terá de pagar uma "alta fatura" devido ao período em que as aulas presenciais estiveram suspensas por causa da pandemia da Covid-19.

"É um momento de renovar as forças, temos batalhas a enfrentar, por conta de todo o impacto que a pandemia teve. Reafirmamos o compromisso pela educação", destacou a governadora.

A Aprendizagem na Idade Certa começou em 2007 com a meta de alfabetizar todas as crianças cearenses até os sete anos de idade. O programa passou a ofertar formação continuada aos professores, além de oferecer apoio à gestão escolar e material estruturado.

No ano de 2011, o programa foi expandido e chegou a contemplar alunos que cursavam até o 5º ano. Já em 2015, mais uma ampliação foi realizada, dessa vez, para atender estudantes até o 9º ano do Ensino Fundamental.

Entre os anos de 2005 e 2019, segundo o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), o Ceará saltou de 2,8 pontos na avaliação para 6,3 (do 1º ao 5º ano). De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o ritmo de crescimento do Estado é superior ao crescimento nacional, que, no mesmo período, foi de 3,6 para 5,7.

O ex-governador Camilo Santana também esteve presente no evento e avaliou o trabalho realizado na educação pelo Governo do Estado durante a sua gestão.

"Eu considero o maior legado que o Ceará tem construído ao longo desses anos, é o trabalho na educação. É um momento de comemoração, mas também é preciso continuar fortemente o trabalho, ainda temos muito a fazer", destaca.

Márcio Brito, secretário Executivo de Cooperação com os Municípios, da Secretaria da Educação do Ceará (Seduc), relembra que, até 2007, o analfabetismo infantil representava um grande problema no Estado, e que em 15 anos o cenário mudou.

"Em 2019, nós comemoramos um grande feito. Todos os municípios do Ceará, os 184, alcançaram o maior nível de alfabetização na avaliação realizada", destaca o secretário.

Questionado sobre a atual situação da educação do Estado, Brito ressalta que é preciso reconhecer que a pandemia deixou sequelas, e que é preciso enfrentá-las. O secretário enfatiza que já foi verificado que algumas crianças de sete anos apresentam níveis abaixo do que deveriam estar, mas que é possível contornar o problema.

"É evidente que dois anos de ausência presencial causariam efeitos negativos, que essas crianças não chegariam nas mesmas condições de antes. Temos desafios que são superáveis, o Ceará tem uma experiência acumulada muito grande", finaliza. 

O povo
Postagem Anterior Próxima Postagem