"Nunca andar para trás", diz Camilo sobre manutenção da aliança PT-PDT no Ceará

Ex-governador Camilo Santana - Foto: Aurelio Alves

O ex-governador do Ceará Camilo Santana (PT) comentou nesta segunda-feira, 20, sobre a crise entre entre PT e PDT no Estado. A aliança se encontra estremecida, diante da possibilidade de o candidato escolhido para disputar o governo ser o ex-prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio (PDT). Os petistas preferem o nome da governadora Izolda Cela, e ameaçam lançar candidatura própria caso ela não dispute a reeleição.

Segundo Camilo, há a necessidade de correções no projeto, “melhorar onde precisa ser melhorado, mas nunca voltar para trás”. As declarações foram dadas durante entrevista na cidade de Tauá. Na ocasião, o pré-candidato ao Senado recebeu o Título de Cidadão do município.

“O projeto que está em curso no Ceará, ele está acima de qualquer projeto pessoal e individual de qualquer um. O importante é que a gente possa continuar fazendo o Ceará avançar”, disse. Para ele, é preciso muita responsabilidade para manter “esse ato de aliança pelo bem do Ceará e da população cearense”, completou Camilo.

Membros do PT afirmam que a união entre as siglas no estado “está no limite”. O deputado federal José Guimarães afirmou, no início deste mês, que se o PDT escolher o nome do ex-prefeito de Fortaleza para ser o candidato ao Palácio da Abolição, o PT irá escolher outro caminho. “Qual é a razão nobre para tirar essa mulher (Izolda Cela)? Gente, é até um negócio esquisito. As mulheres precisam se dar conta da gravidade disso. Ela tem algum defeito? Caberá ao PDT decidir”, disse em entrevista.

A sigla pedetista já deu alguns sinais que Roberto Cláudio é o favorito para liderar a disputa nas eleições para governador. Em evento do partido em apoio à pré-candidatura presidencial de Ciro Gomes, realizado na última quarta-feira, 15, em  Fortaleza, o presidente nacional da sigla Carlos Lupi cantou para RC: “Alguém lembra da música? O melhor prefeito do Brasil vai virar governador. É a música, hein? É a música", disse.

Não só esse ato, mas vários outros elogios feitos por Lupi a RC não repercutiram de forma positiva entre alguns membros do partido. O presidente da Assembleia Legislativa Evandro Leitão criticou o posicionamento do líder partidário. "Não poderia deixar de expressar minha indignação pelo comportamento inoportuno e desrespeitoso do presidente nacional do nosso partido, sr. Carlos Lupi, que vem ao nosso Ceará e desrespeita o democrático processo de escolha de nosso candidato ao Governo”, declarou.

Evandro é outro que integra o quarteto de pré-candidatos, formado ainda por Izolda Cela, Mauro Filho e Roberto Cláudio para concorrer nas eleições de outubro ao Palácio da Abolição. Nesse tenso contexto, Camilo fala que seu papel é o do “diálogo e de construção”, para que esse projeto venha a prosseguir “pelo bem da população cearense”, diz.
O Povo Online
Postagem Anterior Próxima Postagem