PF diz que investirá R$ 57 milhões e destacará mais de 300 agentes para segurança dos presidenciáveis

Foto: José Lucena/TheNews2/Agência O Globo

A Polícia Federal informou durante coletiva de imprensa nesta terça-feira (31) em Brasília que vai investir R$ 57 milhões na segurança dos candidatos à Presidência. Desse total, cerca de R$ 25 milhões serão gastos com o custo operacional (logística, diárias) e R$ 32 milhões com a compra de equipamentos.

De acordo com a PF, ao menos 300 policiais federais serão designados para cuidar da segurança dos presidenciáveis. Todos passarão por um curso específico para exercer essa função.

O trabalho da Polícia Federal na segurança dos candidatos vai começar a partir do dia 16 de agosto, data marcada para o início da campanha eleitoral. O coordenador de proteção à pessoa da Polícia Federal, Thiago Marcantonio Ferreira, disse que a PF vai contar com a assessoria da área de inteligência da corporação para "identificar e neutralizar ameaças aos candidatos".

O coordenador afirmou que a PF está preparada para fazer um trabalho melhor do que o que foi feito na segurança dos presidenciáveis em 2018, quando o então candidato Jair Bolsonaro foi esfaqueado. "O que posso dizer é que a Polícia Federal se qualificou e especializou seu efetivo para ter um atuação melhor do que de 2018. E tenho certeza que 2026 será melhor que esta de 2022, seguindo a lógica de sempre evoluir e aperfeiçoar", afirmou.

Cada candidato tem o suporte de 21 policiais federais. Entretanto, a quantidade de agentes que acompanha os candidatos em cada evento é planejada de acordo com a necessidade, levando em consideração os locais dos eventos.

Caso a PF constate o risco de "ameaças concretas" durante o período de proteção, "o candidato que se expuser espontaneamente aos riscos assumirá a responsabilidade".

G1
Postagem Anterior Próxima Postagem