Professora acusada de matar marido envenenado é condenada a 16 anos de prisão no Ceará

José Eduardo Alexandre da Silva foi morto em 2010 — Foto: Reprodução/TV Verdes Mares

A professora Priscila Martins Vieira, acusada de envenenar e matar o marido em 2010, foi sentenciada a 16 anos de prisão em regime inicialmente fechado após denúncia do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE). A sentença foi aplicada nessa quinta-feira, 2, no Tribunal da 1ª Vara do Júri de Fortaleza, representado pelo promotor de Justiça Marcus Renan Palácio.

O juri popular durou quase 14 horas e estabeleceu a sentença por homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, envenenamento e meio que impossibilitou a defesa da vítima. O crime aconteceu no dia 2 de março de 2010, no bairro Serrinha, e teria sido motivado por uma suposta traição do marido. Ele ingeriu uma sopa com substâncias tóxicas, conforme a investigação.

Momentos antes do crime, a sopa teria sido comprada pela própria vítima,  José Eduardo Alexandre da Silva, que levou a refeição para ser consumida em casa, onde morava com a então esposa, Priscila. Conforme denúncia do MPCE, horas depois de ingerir o alimento, já de madrugada, o homem teria passado mal, sendo levado ao hospital por um amigo. Momentos depois de chegar à unidade, a morte da vítima foi confirmada.

Conforme investigações, o casal dormia em quartos diferentes depois que Priscila descobriu a traição. A ré foi sentenciada conforme o artigo 121, parágrafo 2°, incisos I, III e IV do Código Penal Brasileiro. De acordo com o MPCE, 13 testemunhas foram ouvidas, sendo oito indicadas pela denúncia e cinco elencadas pela defesa.
O Povo Online
Postagem Anterior Próxima Postagem