Reduflação: saiba como esse conceito afeta diretamente o seu bolso

Fotos: Divulgação

Além da inflação nos supermercados, o consumidor tem enfrentado a redução do tamanho das embalagens dos produtos. Isso também é uma inflação disfarçada: o preço não sobe, mas você paga o mesmo valor por menos produto.

O fenômeno já acontece há um tempo, mas consumidores reclamam nas redes sociais de que parece estar piorando e também afeta a qualidade dos produtos. Manteiga misturada com margarina, leite e leite condensado com composto lácteo em vez de leite puro são alguns exemplos citados.

Sabão em pó, que deixou de pesar 1kg para ter apenas 800g, embalagens de molho de tomate que foram reduzidos de 150g para 120g, latas de ervilha que também estão menores.

A dona de casa Márcia Ribeiro Santana, 48, notou que as compras estão cada vez menores. "Antes eu saía com um carrinho quase cheio, e dava R$ 300, R$ 400. Hoje, com esse mesmo valor, eu não encho nem o fundo do carrinho", lamenta. "Vi uma manteiga que diz que é uma mistura de manteiga e margarina, mas o preço é tão alto quanto o da manteiga normal", exemplifica.


E não é só isso. Começaram a aparecer nas prateleiras vários produtos que "são, mas não são". Exemplo: um leite condensado, chamado Moça Pra Toda Família explica que, na verdade, é uma mistura láctea condensada de leite, soro de leite e amido — enquanto o Moça original é de leite condensado integral.

Procurada, a Nestlé disse que o leite condensado tradicional vai continuar sendo produzido, e que o novo produto "possui os mesmos ingredientes do leite condensado tradicional, porém, em quantidades diferentes e com adição de soro de leite e amido, e torna-se uma opção para os consumidores que buscam soluções com menor desembolso, sem abrir mão do resultado", informou.

Até os palitos de fósforo tiveram a quantidade reduzida, conforme relatos. O sabão em pó é outro produto que teve quantidades reduzidas.


Para o economista e membro do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) Carlos Caixeta, os consumidores estão notando o fenômeno chamado "reduflação": mistura de redução com inflação. "Para evitar aumentar os preços, a empresa fabricante mantém o preço, mas reduz a quantidade do produto vendido, o que na prática é um aumento no valor pago pelo consumidor. Mudar a composição do produto significa escolher matérias-primas mais baratas, o que reduz os custos de produção e a necessidade de reajuste de preços", afirma.

Segundo Caixeta, é uma estratégia das empresas para continuarem vendendo. "As empresas procuram evitar aumento de preços porque os produtos ficam menos competitivos, reduzindo as vendas e comprometendo sua saúde financeira."

Caso o consumidor perceba que o produto foi alterado, mas não houve informação adequada, pode recorrer aos órgãos de defesa do consumidor, e as empresas podem ser multadas por maquiagem de produto. Os valores chegam a R$ 9,9 milhões.

UOL
Postagem Anterior Próxima Postagem