Santa Quitéria no radar das pesquisas eleitorais

Foto: Reprodução/Grupo Abril

A cada semana, ferve com mais intensidade o caldeirão das discussões e definições para as disputas eleitorais, principalmente as majoritárias no estado do Ceará. E isto passa pela realização de pesquisas eleitorais, que representa um raio-X da opinião pública em determinado momento, e são mais um importante instrumento democrático, embora muitos discordem dos resultados concluídos.

Como toda pesquisa de opinião pública, ela utiliza método científico para apurar a realidade do momento junto a segmentos representativos do eleitorado, chamados de amostra. Além de seguirem metodologias específicas, as pesquisas são obrigatoriamente registradas na Justiça Eleitoral.  

Desde março, pelo menos cinco institutos de pesquisa diferentes passaram pelo município de Santa Quitéria para consultar a população, segundo dados do TRE-CE. Sem contar os institutos que realizaram, a pedido de grupos políticos e pretensos candidatos, e optaram por não registrar, apenas para avalizar o cenário local e suas estratégias para campanha.

Na consulta feita pelo A Voz de Santa Quitéria, apenas o Paraná Pesquisas deu detalhes de quantas pessoas aqui foram ouvidas: 13, nos bairros Flores e Cinzas, num total de 1.540 em todo o Ceará. Os demais, RealTime Big Data, OPNUS, Invox Brasil e MTG Conectar - a última divulgada e encomendada pelo MDB Ceará - somente mencionaram que a cidade teve entrevistados.

Para Fábio Pereira de Andrade, doutor em Administração Pública e Governo, as pesquisas ofertam um pedaço estruturado de um quebra-cabeça, para o qual a imagem final ainda não é revelada. "Há grupos que não gostam da imagem parcial e desejam desmontar tudo e tentar construir algo diferente do zero. Mas cabe lembrar que estamos diante de um pedaço de imagem, que pode explicar o retrato final, ser uma miniatura da imagem completa, ou ser um fragmento completamente distinto", pontuou.

Em tempo
A divulgação de pesquisa fraudulenta/sem registro constitui crime, punível com detenção de seis meses a um ano e multa no valor de R$ 53.205,00 a R$ 106.410,00.
Postagem Anterior Próxima Postagem