Suspeito de furto milionário em golpes do WhatsApp levava vida de luxo

Reprodução

A Polícia Civil de Goiás (PCGO) prendeu seis amigos de infância suspeitos de se passarem por familiares de vítimas para aplicar golpes de estelionato por meio do WhatsApp, em Goiânia. Os policiais apreenderam R$ 50 mil em dinheiro na casa do suspeito de ser líder da suposta organização criminosa, um carro de luxo, correntes de ouro e drogas, na quinta-feira (2/6).

A equipe de investigação apurou que o líder do grupo levava vida de luxo em Goiânia. De acordo com a polícia, ele morava em uma casa de dois andares e guardava grande quantia de dinheiro na própria residência.

Ao perceber a chegada dos policiais civis, segundo a polícia, o líder da organização fugiu pela janela, saltando muros. Ele foi capturado de cueca em via pública após perseguição.

Prejuízo milionário

A polícia identificou 13 vítimas do suposto grupo criminoso, espalhadas por todas as regiões do país. Segundo a investigação, uma moradora de Recife, no Pernambuco, teve prejuízo de quase R$ 90 mil. O montante envolvido nas fraudes giraria em torno de R$ 1 milhão, de acordo com a investigação.

De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP), Goiás tem, em média, mais de 100 golpes pela internet por dia. De janeiro a abril de 2022, foram 12.839 casos registrados.

A Polícia Civil orienta que um dos principais meios de evitar fraudes é adicionar a verificação em duas etapas nos aplicativos do celular.

O Metrópoles não encontrou contato da defesa dos suspeitos, já que os nomes deles não foram divulgados.

Metrópoles

Postagem Anterior Próxima Postagem