Medicamentos para o público infantil estão em escassez nas farmácias de Santa Quitéria

Foto: TV Globo/Reprodução

Nas últimas semanas, os casos de síndromes gripais tiveram um aumento em Santa Quitéria e a busca por remédios para o tratamento desse tipo de doenças também aumentaram. Entretanto, quem procurou as farmácias para adquirir alguns dos remédios específicos para os sintomas gripais encontrou os estoques esvaziados.

Segundo levantamento feito pelo A Voz de Santa Quitéria, remédios antialérgicos são os mais em falta, mas é o antibiótico conhecido como Amoxicilina + clavulanato de potássio que está no topo da lista dos medicamentos em falta no município. O levantamento também mostrou que os remédios específicos para o público infantil estão em maior escassez nas drogarias.

Atualmente, as crianças são o público mais acometido por doenças com sintomas gripais, dentre elas a Covid-19. De acordo com Vilmar Muniz, da Farmácia Santa Terezinha, as crianças estão sendo as mais prejudicadas com a falta de medicamentos. “Hoje, infelizmente elas não tomaram vacina contra a Covid, é o alvo mais atingido. (...) E infelizmente é a faixa etária que está sendo mais atingida [pela falta de remédios]”, disse.

A Central de Abastecimento Farmacêutico (CAF) em Santa Quitéria também enfrenta a mesma escassez de medicamentos. Sávio Muniz, farmacêutico responsável pela central, contou que a carência de remédios se dá devido a falta de insumos para a produção dos medicamentos que são importados de outros países. A guerra entre Ucrânia e Rússia também é fator determinante para a falta de insumos, e consequentemente dos remédios.

Devido essa ausência de alguns remédios, Sávio relata que a solução é a substituição dos remédios faltosos por outro que possua o mesmo efeito. “A gente tenta ser maleável, conversar com os médicos, dizer o que tem e o que não tem pra achar uma saída para tratar essas crianças que a gente vê que é a maioria do público”, contou.

Medicamentos como Cimegripe, Multigrip, Azitromicina também estão na lista de escassez nas farmácias quiterienses. Em todo o Ceará, há relatos da falta de medicamentos como antibióticos, analgésicos e até mesmo antitérmicos.
Postagem Anterior Próxima Postagem