Por conta de ciúmes, filho mata pai a facadas e atea fogo no corpo

Ciclista Doramir Monteiro Silva, de 56 anos, estava desaparecido desde o final de junho — Foto: Reprodução/TV Gazeta

O ciclista Doramir Monteiro Silva, de 56 anos, foi morto a facadas pelo próprio filho e teve o corpo queimado, segundo a Polícia Civil. O corpo de Doramir foi encontrado na noite dessa segunda-feira (4), na localidade de Estrela do Norte, em Castelo, no Sul do Espírito Santo. A vítima era muito conhecida na região de Cachoeiro de Itapemirim por conta da atividade esportiva e estava desaparecido desde o final de junho.

O filho da vítima, João Vitor Silva Brito, de 24 anos, foi preso nesta segunda e, de acordo com a polícia, confessou o crime. O filho disse aos policiais que a morte foi motivada por ciúmes, pois o preso argumentou que o pai assediava a namorada dele. Segundo João Vitor, sua namorada ajudou no crime, mas ela não foi localizada pelos policiais no momento da prisão dele.

A Polícia Civil vai investigar a versão dada pelo preso e também a linha de crime com motivação patrimonial. "Eles afirmaram em depoimento que foi em razão do seu Doramir ter tentado agarrar, tentado alguma coisa com conotação sexual com a companheira desse rapaz. É o que eles afirmaram. Nós vamos ainda apurar durante a tramitação do inquérito se isso aí procede ou não, se tem outra motivação, sobretudo aí ligada ao cunho patrimonial", explicou o delegado Felipe Vivas.

O delegado também disse que a morte do ciclista choca ainda mais pela frieza. "São 15 anos de profissão e a frieza assusta. Mataram o seu Doramir a facadas, enrolaram em um lençol, enrolaram em um tapete, enrolaram em mais um edredom, colocaram no porta-malas, passaram em um posto de gasolina, compraram combustível com o cartão do seu Doramir, seguiram para essa propriedade rural, que é de familiar dessa menina, nesse local eles primeiro jogaram três litros de combustível em cima do corpo dele, atearam fogo, esperaram o fogo abaixar, atearam fogo novamente e, ao amanhecer, quando já estava com uma fumaça muito alta, eles apagaram o fogo e retornaram para Cachoeiro. Retornaram para Cachoeiro e ainda foram para a padaria para tomar café", relatou.

O filho do ciclista foi levado ao Centro de Detenção Provisória. Até a última atualização deste texto, a reportagem não havia obtido contato com o preso ou a defesa dele.
Portal G1
Postagem Anterior Próxima Postagem