Varíola dos macacos não está em circulação comunitária no Ceará

OMS declara emergência internacional em saúde pública por monkeypox - Foto: Divulgação

Apesar do aumento de notificações de casos suspeitos da varíola dos macacos, o Ceará não tem circulação comunitária do vírus. O Estado tem quatro casos confirmados há três semanas, sem nova confirmação no período. Todos são importados, ou seja, os pacientes foram expostos ao vírus em outro local e vieram para o Ceará.
   
As informações foram passadas por Sarah Mendes, secretária executiva de Vigilância em Saúde, durante coletiva sobre o cenário de monkeypox realizada na tarde desta terça-feira, 26. Desde 15 de março, o Estado notificou 63 casos. Dos quais 32 foram descartados laboratorialmente e 27 seguem em investigação. Os casos confirmados são de três residentes de Fortaleza (sexo masculino, 35, 26 e 30 anos) e um do município de Russas (sexo masculino, 43 anos).

Conforme a Sesa, os pacientes suspeitos são residentes de Aracoiaba (1), Barbalha (2), Cascavel (1), Caucaia (2), Crato (2), Fortaleza (5), Fortim (1), Jaguaruana (1), Juazeiro do Norte (3), Morada Nova (1), Quixeré (1), Russas (3) e Sobral (1). Outros três suspeitos são viajantes do Rio Grande do Norte (1) e São Paulo (2). Segundo Sarah Mendes, o monitoramento dos casos em investigação e comunicação direta com o Ministério da Saúde, as Secretarias Regionais de Saúde, as Áreas Descentralizadas de Saúde e municípios.
O Povo
Postagem Anterior Próxima Postagem