Após um ano de operação letal, Polícia Militar faz nova ação em comunidade do Rio de Janeiro

Polícia Militar faz nova ação em comunidade do Rio de Janeiro - Foto: Reprodução

Mais de um ano após a operação considerada a mais letal do Rio de Janeiro, a comunidade do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, é alvo de outra ação da Polícia Militar, nesta terça-feira (02/08). A informação foi confirmada pela corporação em uma rede social.

Agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do Batalhão de Ações com Cães (BAC) e do Batalhão de Choque (BPChq) estão atuando nos Complexos de comunidades do Chapadão e do Lins e nas comunidades do Engenho, da Galinha, do Jacaré e do Fubá.

Os agentes buscam armas, drogas e criminosos que atuam na área. O policiamento foi reforçado nos principais acessos da comunidade. Até o momento, a corporação não informou sobre prisões ou apreensões.

Operação mais letal do Rio de Janeiro
Mais de 250 policiais civis da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) e de Combate às Drogas (Dcod), com apoio de outras especializadas, participaram da operação, batizada Exceptis. O agente da Dcod André Frias morreu no início da ação.

A operação foi deflagrada para investigar o aliciamento de crianças e adolescentes para integrar a facção que domina a comunidade, explorando os menores para práticas como o tráfico de drogas, roubo de cargas, roubos a transeuntes, homicídios e sequestros de trens da Supervia.

A Polícia Civil tratou a ação como regular e colocou as investigações sobre 524 operações em sigilo por cinco anos. Desde junho do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que as ações policiais devem acontecer apenas em caráter excepcional e com prévio aviso ao Ministério Público.

Levantamento realizado pelo Instituto Fogo Cruzado mostrou que a ação na comunidade do Jacarezinho é a mais letal da história do Rio de Janeiro.
Ceará Notícias
Postagem Anterior Próxima Postagem