Catarata: Acometendo 120 mil brasileiros ao ano, doença é considerada a principal causa de cegueira tratável

Foto: Thiago Rodrigues/AVSQ

Visão embaçada ou dupla, sensibilidade à luz, alterações na percepção visual das cores. Esses são somente alguns dos sintomas característicos da catarata. A doença, que é a principal causa de cegueira reversível no mundo, atinge, ao ano, 120 mil brasileiros. O dado é do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e serve de alerta a médicos e pacientes.

A catarata afeta uma estrutura chamada de cristalino, que é a lente natural do olho. Com o passar do tempo e o envelhecimento, ela vai se tornando opaca. Essa opacidade recebe o nome de catarata e pode gerar a perda progressiva da visão.


A causa mais comum da doença é a senilidade, ou seja, o envelhecimento natural do indivíduo. O cristalino começa a mudar sua conformação a partir do nascimento e, a contar dos 40 anos, a lente natural começa a perder sua multifocalidade. Esse acometimento é nomeado por presbiopia, ou, como é comumente chamada, “vista cansada para perto”. Nessa fase, o cristalino ainda está transparente, por isso, não caracteriza a catarata, mas recebe a nomenclatura de síndrome do cristalino disfuncional. David alertou que “ainda há a possibilidade de diversos outros tipos de catarata, uma delas a congênita, que está presente no nascimento ou logo após ele”. Esse tipo pode ser percebido no Teste do Olhinho ou na consulta regular necessária ao oftalmologista nesse período.

Alguns fatores podem acabar desencadeando ou acelerando o aparecimento da catarata, bem como:
  • Histórico familiar;
  • Tabagismo secundário;
  • Trauma ocular;
  • Uso de drogas medicamentosas sem o devido acompanhamento;
  • Inflamações repetitivas intraoculares;
  • Excesso de exposição ao sol, visto que é notado o surgimento precoce de catarata em populações que habitam países localizados próximos à Linha do Equador e que, assim, têm maior incidência de luz.

Os altos índices de cegueira associados à catarata podem ser um reflexo da procura tardia de orientação oftalmológica, fazendo assim que os indivíduos cheguem à cegueira, porém, essa é reversível com o tratamento adequado. Mesmo não sendo possível prevenir a catarata, algumas ações podem auxiliar no afastamento dos fatores de risco:

  • “Ir ao oftalmologista com a frequência adequada é o mais importante. Pelo menos, a cada 1 ano, visitar um especialista para fazer um check up ocular e saber se está tudo bem”, explica.
  • Evitar o uso indiscriminado de medicações não prescritas por médicos;
  • Prevenir traumas oculares;
  • Usar proteção contra os raios solares e evitar se expor em excesso;
  • Manter uma rotina e dieta saudáveis.

Cirurgia é a solução. Com a pandemia, houve uma baixa nas realizações de cirurgias e as pessoas começaram a apresentar baixa visual, visão subnormal ou mesmo cegueira. Isso contribuiu para o surgimento de afecções psiquiátricas, então, esse procedimento melhora a qualidade de vida, minimizando doenças como a depressão.

O procedimento, que tem como objetivo eliminar a catarata e reverter o possível caso de cegueira, ocorre por meio da troca do cristalino. A lente natural atingida pelo acometimento é substituída por uma artificial, que é chamada de lente intraocular. O procedimento é relativamente rápido, possui baixo risco, não precisa de internação, é feito sob anestesia tópica (uso de colírios anestésicos) e é possível, até mesmo, corrigir qualquer erro de refração (miopia, astigmatismo ou hipermetropia) na maioria dos casos, isto é, quando não existirem contraindicações.

Focus.jor
Postagem Anterior Próxima Postagem