Ipespe: Camilo e Lula são os principais cabos eleitorais do Ceará

Camilo e Lula são os principais cabos eleitorais do Ceará - Foto: Divulgação

Candidatos ao Senado Federal e à Presidência, respectivamente, o ex-governador Camilo Santana (PT) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) são os cabos eleitorais com maior poder de atrair votos no Ceará, mostra pesquisa Ipespe, contratada por O POVO. O instituto perguntou se o apoio de alguns líderes estaduais e nacionais aumenta, não altera ou diminui a chance de voto nas candidaturas a governador do Estado por eles apoiadas.

Para 50% dos entrevistados, o apoio do ex-presidente Lula aumenta as chances de voto. Logo em seguida, para 48%, Camilo eleva as chances de triunfo para quem ele "levantar o braço".

Terceiro lugar na primeira rodada Ipespe para governador do Ceará, Elmano Freitas (PT) é quem recebe o apoio de ambos. Na pergunta estimulada, em que os nomes dos candidatos são ditos aos entrevistados, o petista está com 13%, atrás de Capitão Wagner (União Brasil), com 38%, e de Roberto Cláudio (PDT), com 28%.

Aspectos inéditos permeiam a realidade dos dois líderes petistas. Lula está perto vencer no Ceará em eleição na qual tem Ciro Gomes (PDT) como concorrente. E Camilo testa sua força eleitoral longe dos irmãos Ferreira Gomes pela primeira vez após romper com Ciro.

As circunstâncias políticas o distanciam de Cid, pelo menos no sentido formal. Na convenção do PT do Ceará, no Centro de Eventos, Camilo disse que ninguém o separaria de Cid Gomes, numa afirmação que alcança Ciro indiretamente. 

A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com os números BR-03845/2022 e CE-01693/2022. O Ipespe fez mil entrevistas telefônicas. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos. O intervalo de confiança é de 95,5%.

Apoiadores que não ajudam nem atrapalham
O segundo pelotão deste recorte do levantamento é composto pelo ex-ministro Ciro Gomes (PDT), pelo senador Tasso Jereissati (PSDB), pelo senador Cid Gomes (PDT) e pela governadora Izolda Cela (PDT). A maioria dos eleitores disse que o apoio desses quatro não altera a escolha que farão.

Ciro tem 42% de "não altera", seguido dos atuais senadores Tasso e Cid, ambos com 45%. Izolda tem 46% neste quesito. Em comum entre eles, todos ou são ex-governadores do Ceará, ou estão atualmente no comando do Palácio Abolição, caso de Izolda Cela.

Os irmãos pedetistas e o empresário tucano são apoiadores do ex-prefeito Roberto Cláudio (PDT). A chapa dele anunciou o empresário Amarílio Macedo (PSDB) como candidato a senador num contexto em que vozes pedetistas já começam a considerar, por meio de falas públicas ainda tímidas, o que já se conversa nos bastidores com mais ênfase: o voto em Camilo para senador e em Roberto Cláudio para governador.

Bolsonaro diminui chances de quem ele apoiar
Somente o presidente Jair Bolsonaro (PL) é que mais atrapalha do que ajuda, com 43% afirmando que a chance de escolher um candidato apoiado por ele diminui. Ciente disso, Capitão Wagner (União Brasil) adota afastamentos e aproximações calculadas do mandatário cujos apoiadores costumam reivindicar adesão integral.
O Povo
Postagem Anterior Próxima Postagem