Suposta carta psicografada de Eliza Samudio diz que corpo dela foi jogado em rio

Foto: TV Globo/Reprodução

Após 12 anos da morte de Eliza Samudio, uma vidente revelou uma carta psicografada com uma suposta mensagem da vítima. A carta foi divulgada nessa segunda-feira, 1°, pela redes sociais de Chaline Grazik. De acordo com a mensagem, Eliza teria sido asfixiada e jogada em um rio. "Decidiram me jogar num rio. Pegaram uma madeira com fiapos e me bateram muito. Eu vi tudo, senti tudo”, diz trecho da carta.

Eliza Samudio foi assassinada em julho de 2010, a mando do goleiro Bruno Fernandes. O corpo da modelo, na época com 25 anos, nunca foi encontrado. Segundo Grazik, que se intitula como vidente oficial das estrelas, após morrer, Eliza pode observar, além de sentir, toda a cena em que seus assassinos se desfizeram de seu corpo.

Leia a carta na íntegra:

“Foi cruel, foi horroroso. Eu tentava pedir socorro, mas ninguém me ouviu. Meu pescoço doía tanto, apertaram, até faltar oxigênio no meu corpo. Mas, neste momento, meu espírito saiu imediatamente do corpo. Ficou perto de uma árvore de onde vi tudo o que fizeram comigo. De repente, veio um homem mal-encarado, de pele morena e camiseta vermelha. Naquele dia eu não sabia quem era ele. Mas eu conseguia ver tudo o que faziam comigo, uma sensação que eles tinham de pavor, que não sabiam o que fazer. Pareciam endemoniados. Nunca imaginei do que fossem capazes. Um dizia para o outro como esconder o corpo… Decidiram me jogar num rio, que lembro nitidamente, um rio fétido. Pegaram uma madeira com fiapos e me bateram muito, até que meu corpo ficasse no fundo. Eles tinham cara de apavorados, mas mesmo assim cometeram o crime. Eu vi tudo, senti tudo”.

Relembre o caso

Eliza e o goleiro Bruno se conheceram em maio de 2009. Ainda no mesmo ano, Eliza fica grávida do jogador e, em outubro, a modelo se dirigiu até a Delegacia da Mulher, no Rio de Janeiro, para registrar queixa de agressão de Bruno contra ela. Segundo a ocorrencia, o jogador queria que Eliza realizasse um aborto.

O filho de Bruno e Eliza nasceu em fevereiro de 2010. No dia 10 de junho, Eliza foi levada, a mando do goleiro, para o sítio do jogador em Esmeraldas, no interior de Minas Gerais. Ela teria sido levada por Macarrão e Marcos Aparecido dos Santos, o Bola. Lá, a jovem foi morta por motivo torpe, asfixia e com dificuldade de defesa da vítima, conforme a denúncia. A data exata da morte ainda está em processo de investigação. Segundo a Justiça, a mais provável é que tenha sido em 10 de julho de 2010. 

O povo
Postagem Anterior Próxima Postagem