Técnica de enfermagem que seria agiota é morta por causa de dívida

Foto: G1/Reprodução

Uma mulher apontada como agiota foi morta nessa quarta-feira, 3, em Brazlândia, região administrativa do Distrito Federal. Danyanne da Cunha Januário da Silva, 35, era técnica de enfermagem e estava desaparecida há uma semana. De acordo com a Polícia, a mulher foi assassinada por homens que a ajudavam a encontrar clientes. Dois suspeitos pelo crime foram presos. Outro homem, apontado como responsável por atirar na vítima, ainda não foi localizado.

A mulher estava desaparecida desde 27 de julho. Os suspeitos pelo crime trabalhavam com Danyanne, de acordo com informações do G1 Distrito Federal. Após conquistar a confiança da agiota, eles teriam começado a "simular" clientes que não existiam e, assim, pegavam o dinheiro dos empréstimos para uso próprio. Com receio de não pagar as dívidas, os homens teriam decidido matar a técnica de enfermagem.

Segundo investigação, os suspeitos teriam simulado um assalto a Danyanne. No dia da morte, os dois parceiros da mulher na agiotagem teriam entrado contato com ela para fazer o repasse semanal do dinheiro conseguido com o esquema.

Acreditando que "seria um encontro rápido", Danyanne não levou o celular e deixou os dois filhos, de 11 anos e de 13 anos, em casa. No momento do crime, a mulher estava na companhia dos dois colegas. O suspeito, conhecido como "Negão", teria dado um tiro na cabeça da vítima.

Em depoimento à Polícia, os presos declararam que a dívida era no valor de R$ 35 mil. A família de Danyanne, no entanto, afirma que, segundo as anotações da vítima sobre os empréstimos, o valor podia chegar a R$ 80 mil.

Segundo a Polícia Civil, Danyanne emprestava dinheiro a juros de 50%. Os dois homens, que eram responsáveis por encontrar pessoas interessadas nos empréstimos, ficavam com cerca de 60% do valor dos juros, e ela, com 40%. Um dos suspeitos fazia parte do esquema há cerca de dois anos. Já o outro teria começado em fevereiro deste ano.

Um dos presos teria confessado o crime, mas o segundo negou a participação. Os dois foram autuados em flagrante por ocultação de cadáver. Eles ainda serão responsabilizados por homicídio qualificado e roubo de veículo. 

O povo
Postagem Anterior Próxima Postagem